Arquivo do mês: abril de 2017

VIVA OS ÍNDIOS VIVOS!

Com a conclamação do título acima, Guto Lacaz, grande artista paulistano, fez um poema gráfico que, infelizmente, não dá para reproduzir aqui. Está no Facebook, para quem quiser ver. A partir de um poema de Carlos Rennó e música do … Continue lendo

Share
Publicado em Crônicas | Com a tag , , , , , | Deixar um comentário

Que beleza!!! Não deixem de ver.

Share
Publicado em Cotidiano | Deixar um comentário

Para quem escreve sobre mulher

Deveria ser obrigatório ler a tetralogia napolitana da Elena Ferrante. Se tem uma coisa que essa escritora vai deixar para quem escreve sobre os problemas mais íntimos da mulher é que, sem um pouco de verdade, não vai funcionar mais. … Continue lendo

Share
Publicado em Cotidiano | Deixar um comentário

Depois de um grande desânimo com o que estamos vivendo

Estou começando a animar, tipo esquentando os tamborins, para escrever um novo romance. Ainda estou na fase da pesquisa, que desta vez começou um tanto fora de foco. Ainda vou continuar nas pesquisas, mas agora, pelo menos, já tenho um … Continue lendo

Share
Publicado em Cotidiano | Deixar um comentário

Sexta de crônicas: Morte anunciada

  Mais uma vez, um alerta vermelho dos cientistas: estamos cometendo um crime, levando nosso cerrado à extinção. Destruindo o chão de nossos netos e bisnetos. Ainda existem saídas, mas se não mudarmos alguma coisa, em breve elas se fecharão. … Continue lendo

Share
Publicado em Crônicas | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Um momento de divulgação

Duas mensagens da grande Beatriz Cannabrava: Esta mais recente, sobre o meu livro de contos, “Felizes Poucos”, que abordam vários momentos da luta contra a ditadura: “Dizer que gostei do livro é pouco. Em vários momentos me identifiquei com Bia, Cristina, … Continue lendo

Share
Publicado em Cotidiano | Deixar um comentário

Por que se é amigo de alguém?

Responde Deleuze: “A amizade, para mim, é uma questão de percepção. Não é o fato de ter ideias em comum, mas de uma linguagem comum ou uma pré-linguagem comum. (…) Há um mistério aí, uma base indeterminada… Tenho uma hipótese: … Continue lendo

Share
Publicado em Entrevistas | Com a tag , , | Deixar um comentário

Morte bonita

A garota lia um livro no metrô. Descemos na mesma estação e, quando o trem parou, ela se levantou lendo o livro, desceu do vagão lendo, e lendo continuou ao subir as escadas e sair da estação. Depois, perdia-a de … Continue lendo

Share
Publicado em Cotidiano | Deixar um comentário